Dia mundial do livro | Para viajar em 2021

Por Tati Reuter - abril 23, 2021

Por que ler? Muitos escritores passam um tempo nesta questão, escrevem livros sobre seu processo criativo, a disciplina e o amor pela palavra escrita. Neste Dia Mundial do Livro, a conversa é leve, tentando responder como eu vejo a escrita, a leitura e a força das histórias. 

dia mundial do livro, imagem com livros abertos e o título: para viajar em 2021.

A literatura nos ensina a notar melhor a vida; praticamos isso
na vida, o que nos faz, por sua vez, ler melhor o detalhe na
literatura, o que, por sua vez, nos faz ler melhor a vida.
James Wood

 

Está difícil viajar este ano. Como meros brasileiros em tempos de pandemia, vamos nos concentrar no já repetido mantra "fique em casa". Tudo o que nos resta nestes 13 meses de isolamento e distanciamento sociais é pensar nas formas que temos de sair da nossa realidade, de buscar o lazer, de encontrar maneiras de retomar a criatividade.

Não, você não precisa ser um artista para ser criativo. Pode buscar em sua vida outras formas, perspectivas, ideias para o seu dia a dia. Isso é criar. Não significa produzir uma obra ou desenvolver um projeto artístico, necessariamente. E para isso, é preciso ter insumos.

Livros, filmes, conversas, séries, músicas, fotografias. Vale um mundo de coisas, mas, sendo o dia mundial do livro, vamos nos ater à palavra escrita e aos seus criadores. E, honestamente, nada se compara ao livro.

Sou graduada e trabalho com cinema e audiovisual de forma geral, então tenho esta forma de comunicação e arte em alta conta, mas o livro tem seu lugar. O livro demanda da nossa imaginação. É como nadar em alto mar e um filme... seria como boiar. No mar, você se aprofunda, investe em mergulhos, bebe um pouco de água salgada, os olhos ardem, mas a experiência é fantástica. Pode ser que uma tartaruga apareça ou um pequeno cardume passe por você. As algas, como os seus cabelos, podem nadar em sincronia, como se ouvissem uma sinfonia. No filme também aproveitamos, mas estamos voltados para o céu e só sentimos uma parte pequena do universo que é todo aquele azul profundo abaixo de nós.

É isso, o livro é um passaporte, um portal. É a nossa forma de atravessar, com a permissão do autor que nos entrega seu roteiro, paisagens, caminhos, tempos, histórias e pessoas. É conhecer novos horizontes, é recorrer aos nossos sentimentos, é criar as imagens para o que seguimos através do texto.

Você já riu com um livro? Já teve essa experiência? É das coisas mais maravilhosas e inesperadas. Da mesma maneira, quando o assunto é tenso ou pesado, vai em doses homeopáticas, porque não dá para aguentar muito de uma só vez. O livro mexe com as nossas entranhas, acalenta, aperta e afaga. 

O livro é um dos meios de ver o mundo e seus autores, os nossos guias. Que pessoas maravilhosas e mágicas são eles, que nos permitem reencontros de outras vidas e eras, uma conversa entre gerações, de vidas passadas e presentes. Talvez seja mais interessante pensar que se tornaram imortais mesmo, porque estão sempre ali, doidos para puxar assunto.

Este é um texto de amor, que deixei seguir fluindo, na esperança de trazer respostas. Eu leio porque gosto de viajar. Gosto de conhecer gente, lugares, outras vidas. Gosto de investigar saberes e sabores, e perceber que a vida é tão grande, diversa e rica, que nos ultrapassa, que precisa se espalhar e aí sim, contaminar todo mundo ao redor. É por isso também que eu escrevo, para compartilhar um pouco das minhas histórias cotidianas, querendo ouvir um pouco das suas também. 

Enquanto não saímos de casa, vamos aos livros, viajar, é preciso, por tão pouco, por todo o mundo.
Um feliz e maravilhoso dia mundial do livro para todos nós.

***

Eita que é falar de livro, eu me inspiro e não paro mais. Para me ajudar a trazer referências, autores e inspirações, vamos tomar um café? Vem no buy me a coffee! ☕

  • Compartilhe:

Você também pode gostar

0 Comentários