Quem sou eu no meio de tudo isso?, Naila Agostinho

by - maio 25, 2020


ser - ter identidade, característica ou propriedade intrínseca.

respirando fundo pra trazer ar e calma.
na imensidão de tudo o que acontece no antes e no depois.

todas as incertezas da vida…
a morte
o medo
a solidão
o universo todo
um pontinho e uma ponte. tudo que nos cerca e nos protege.

impossível não pensar na solidão. ela tá aqui. aqui e agora.
não é novidade, ela sempre esteve por perto.
na água limpa, no sorriso, na multidão, na festa, no cantinho do quarto... ela tá sempre lá. mesmo quando estamos juntos.

o que sinto, tu não sentes. o frio que me acarreta no meio da noite é meu. minha pele é minha.
o sangue que pulsa em mim, pulsa em você, mas diferente.

eu sinto a solidão no domingo às 22h, na terça às 17h. ela vem do nada, chega e senta do meu ladinho, grudadinha no meu braço. sinto seu calor em cima de mim, sua respiração, sua mão fria do nervoso e dos pensamentos borbulhantes.
quem sou eu na solidão? quem sou eu no meio de tudo isso?

ser e estar em constante mutação. respirar e liberar o ar no meio da tensão. indo sem saber quem sou e por que sou, sempre em frente, sei lá pra onde ou porquê. indo. andando, correndo, parando para apreciar a vista, dando um abraço apertado no amigo - que saudades do amigo. e do abraço - mas indo assim mesmo.

***

Quem escreve
"Aquela que veio para ter sorte". Este é o significado no meu nome. Meus pais queriam me dar um nome com força e significado imponentes e encontraram Naila. Escrevo para preencher vazios e libertar sentimentos. Acredito no poder de transformação da arte. Amo sentir o cheiro de terra molhada, alho refogado e livro antigo. Respiro música desde 95. Fala comigo.

Você também pode gostar

0 Comentários