Amazon Prime - Abril 2020

by - abril 28, 2020


Abril chega nos seus últimos dias e adianto aqui a nossa compilação de tudo o que encontrei de legal para assistir na Amazon Prime Video. É importante dizer que tem, realmente, muito filme bom por lá, propostas mais interessantes do que costumamos encontrar na Netflix. De repente, essa será a ideia mesmo do streaming, para garantir uma competição saudável. Se nada mais prestar, em todo caso, ainda teremos Disney+, HboGo, Telecine Play, Mubi, Youtube e o resto do mundo. Parece que a redução de canais de televisão fez criar um universo de canais de streaming - trocando seis por meia dúzia (a diferença é que agora podemos escolher a hora de assistir). Vamos com o que temos!

  • Séries 

Masters of sex (2013-2016)
Lançada em 2013, tem quatro temporadas. Baseada em uma história real, fala sobre os inícios das pesquisas sobre saúde e sexualidade nos anos 50, atravessando o início da revolução sexual que veio depois. É um drama-romance muito bem construído e divertido, sem ser meloso. Vale muito a pena. 

Modern Love (2019-)
Modern Love é baseada em uma coluna homônima do New York Times, que trata sobre comportamento e relacionamentos mais diversos, envolvendo claro, amor - em todas as suas nuances. Leve, tranquila, não é água com açúcar e mostra diversas situações interessantes que abrangem o tema. Elenco de primeira, passa o tempo que é uma beleza e faz bem para o coração e o espírito. Lembra os grandes filmes de romance / comédia romântica e sigo ansiosa para a segunda temporada. 

Downton Abbey (2010-2016)
Downton Abbey é uma das séries inglesas de maior sucesso da atualidade. Um drama histórico sobre as relações de uma família da aristocracia e seus empregados, em paralelo com fatos históricos do começo do século XX. É meio novelesco às vezes, mas acabamos nos apegando aos personagens - e são muitos mesmo! - e seguimos em frente sem grande problemas. Fez tanto sucesso, que lançaram filme comemorativo ano passado nos cinemas. Seis temporadas. 

  • Filmes

Blue Jasmine (2013)
Sabendo de todas as polêmicas e boicotes ao diretor, acho que vale abrir uma exceção para este filme. Ele, inclusive, já esteve na Netflix e migrou para a Amazon. Não é comédia boba, ele não está como personagem no filme. É um drama-comédia com Cate Blanchet, Alec Baldwin e muita gente boa. Uma mulher perde a fortuna e passa a viver com sua irmã, longe de ser rica. A interpretação de Cate só comprova seu talento e força como atriz. De Woody Allen

Um estranho no ninho (1975)
Um ‘clássico moderno’, como diria a prateleira da minha finada videolocadora aqui de Salvador. Os melhores filmes estavam sempre por lá. Pois Jack Nicholson não fez apenas O Iluminado ou Easy Rider, mas muitos outros ótimos que merecem destaque. Aqui, ele é McMurphy, um criminoso que alega insanidade e vai parar em uma instituição psiquiátrica com um sistema brutal. De Milos Forman, nem sei se precisa dizer mais nada.

A Caça (2012)
Estamos em um bom momento para assistir este filme. Mentiras, suspeitas, esse drama dá um nó em nossas ideias sobre temas controversos. Mads Mikkelsen é Lucas, um professor de escola infantil que se torna suspeito de molestar uma criança. O resto é história e faz lembrar um importante caso semelhantes que aconteceu em uma escola do Rio de Janeiro anos atrás. De Thomas Vitenberg, é impressionante a seleção de elenco e a sinergia destes atores em um filme tão centrado em poucos espaços e dentro de uma pequena comunidade. Grande roteiro.

O discurso do rei (2010)
O filme faz impressionantes dez anos esse ano. Dirigido por Tom Hooper, de Os Miseráveis (2012) e A Garota Dinamarquesa (2015), o filme conta a história da dificuldade do rei George VI, o esposo da Rainha Elizabeth em atender às suas atividades no trono. Baseado em fatos reais e um ótimo programa para toda a família.

Um beijo roubado (2007)
Um beijo roubado é uma pérola escondida no streaming. Filme de Wong Kar-Wai, é um romance-road-movie-drama, com um elenco tão espetacular quanto sua fotografia e trilha sonora. Faz valer cada minuto, especialmente quando embarcamos nas micro estórias dentro da saga de Norah Jones. O elenco de apoio não poderia ser mais impressionante Natalie PortmanJude LawRachel Weisz David Strathairn. Uma delícia. A crítica dessa maravilha segue aqui.

Lars and the real girl (2007)
Essa é uma comédia-drama inusitada em que Lars, como diz o título, encontra amor em uma boneca inflável. Não chega a ser um spoiler, calma, isso dá pra ver no cartaz. A graça do filme vai além, quando sua família é apresentada à moça. O filme é divertido e diferente e nos faz pensar em comportamento, família, solidão, ingenuidade e claro, amor. Como era de se esperar, levou vários prêmios de roteiro. Com Ryan Gosling. 

Maary e Max (2009)
Mary (Toni Collette) é uma garota de oito anos que mora em Melbourne e Max (Philip Seymour Hoffman) é um homem de quarenta e quatro, que vive em New York. A menina decide escrever uma carta aleatória para o endereço de Max, encontrado numa lista telefônica e passam a se corresponder, por anos, se tornando amigos. O filme é lindo, engraçado, tem um roteiro brilhante e vale muito a pena. Veja e me fale!

Apenas uma noite (2010)
É uma dessas histórias de romance e acaso com um elenco que dá vontade de acompanhar. Por mais ridícula que pareça essa frase, acho mesmo que fui ver esse filme por essa razão. Mas, calma, ele é bom. Keira Knightley e Sam Worthington são Joanna e Michael, um casal que se dá bem e tá tudo certo, mas o relacionamento anda meio morno. Os dois vão passar uma noite afastados, ele em uma viagem a trabalho e ela cruza com uma pessoa do passado. É um filme sobre desejo, responsabilidades, amor - relacionamento. O que eu gosto aqui, além do elenco é, de como a trama se constrói e como conseguimos entender as complexidades de seus personagens. 

Tudo sobre minha mãe (1999)
Eu deveria dizer: Almodóvar, assistam, mas depois que ele fez aquele filme do avião, acho que é preciso falar mais. O filme do avião é podre. haha... Mas, Tudo sobre minha mãe é um filme realmente com a marca boa do diretor, um drama centrado na figura de uma mãe, como o título diz, mas nos papeis das mulheres nas famílias também. Almodóvar sempre fala um pouco de si nos filmes que faz e esse não foge à regra, mantenod também suas cores, como diz Caetano e um humor em meio ao drama. Aqui tem conversa sobre gênero, como sempre e um elenco de peso do cinema espanhol, Cecilia Roth, Marisa Paredes, Candela Peña, Antonia San Juan e, claro, Penélope Cruz.

Posts Relacionados

0 comentários

//]]>