Netflix - Março 3.2020

by - março 23, 2020


Estamos no olho do furacão, mas vamos tentar manter um mínimo de tranquilidade em tempos de excesso de informação e ansiedade. Confesso que dei uma segurada nas notícias, meu coração é muito sensível, e sigo por aqui, pensando e dividindo filmes e séries para aliviar e fazer o tempo passar. Pensemos em nós e no coletivo e façamos o que estiver ao nosso alcance para minimizar os problemas e reduzir os índices. As postagens seguem, a princípio, diariamente no instagram, mas aqui temos um compilado para deixar tudo organizado e servir de referência para quem não está tão frenético nas redes. Este é um espaço de calma e para fugir um pouco do que estamos vivendo.

Inspire, expire (2018)
Duas mulheres se conhecem em um momento delicado. Uma está em trânsito para conseguir asilo político, a outra descobre que aquela carrega um passaporte falso. Um filme que lembra os melhores de Ken Loach, onde situações sociais são sempre mais complexas e demandam decisões além do sim e não, certo e errado. É uma das pérolas escondidas do streaming. Islandês, contrasta a dureza do clima com os afetos e cuidados que nos tornam mais um pouco mais humanos.

I am not okay with this (2020)
Aposta da Netflix como série de comédia desse ano, dos produtores de Stranger Things e com o diretor de The end of the fucking world. Poderia se dizer que é realmente um pouco de cada uma destas destas séries, da leveza da primeira, com o clima da segunda, mas tem alguns adendos. Há muito de Carrie, de Stephen King, da garota adolescente que tem um poder que a ultrapassa, mas não é sobre super heróis. É sobre relações humanas neste período de descobertas, em que ainda estamos nos entendendo como pessoas, o que gostamos, o que prezamos, o que não combina com a gente, o que queremos mostrar para o mundo. Leve e interessante, vale para adultos também, já que recordar é viver e eu, pelo menos, tenho saudades de ter menos responsabilidades.

Um banho de vida (2018)
Mathieu Amalric é Bertrand, um homem que tenta se entender em meio a depressão. Para ocupar o tempo, entra em um grupo de nado sincronizado, com outros homens de meia idade e cada um com seu problema. O filme segue sem percebermos e é fácil nos identificarmos em algumas situações. É um filme leve sem ser besta, que traz uma ideia de amizade e camaradagem tão caras para nós nos últimos tempos. Elenco espetacular. Vale cada minuto.

Você também pode gostar

0 Comentários