Amazon Prime - Março 1.2020

by - março 25, 2020


Enquanto fazemos o tempo passar, vamos enfrentando os pequenos desafios cotidianos em nossa esfera reduzida. Estamos em casa, e por isso, busco imagens de casa em seu sentido pleno e pacífico. De agonia, já basta o noticiário. A busca é pela paz, pelo retorno aos nossos, ao que temos de importante em nós e em nossos afetos. Um espaço de conforto, para que nos sustentemos em meio ao caos. E agora, o lazer.

Força Maior (2015)
Força Maior é um filme brilhante. Só precisaria dizer isso e a indicação deveria valer, mas vamos lá. É um filme que nos faz pensar em nosso papel social, mas também é uma comédia. E também é um drama. É um filme que nos coloca uma hipótese cujos desdobramentos e conclusões não saem conforme o imaginado. Discussões inteligentes e ácidas, uma revisão da família se faz, entre situações-limite e posicionamentos individuais. É mais do que isso e tem a crítica aqui, de quando vi o filme no cinema. É muito bom. Podem assistir tudo o que Robert Östlund dirige que a chance de dar errado é bem pequena.

Fleabag (2016)
Comédia ácida inglesa, essa série cativa no primeiro episódio. Uma mulher em seus trinta e poucos ou vinte e muitos, solteira, tenta se reerguer após uma tragédia pessoal. Baseada em uma peça também da atriz protagonista, Phoebe Waller-Bridge, de 2013, foi sucesso nos dois formatos. O ponto é que tudo parece muito sincero. É uma personagem que, em alguma medida, está em nós e as exposições de seus pensamentos apenas com o olhar ou nas observações que faz, são de um ganho cênico impressionante e identificação imediata. Além de deixar tudo mais interessante. A série tem duas temporadas e carrega mais de quarenta prêmios.

The Office (2005 - 2013)
 Versão americana de seu original homônimo inglês, The Office é a certeza de uma maratona de sucesso. Comédia boa, despretensiosa e sarcástica, trata do dia a dia em um escritório de uma filial de uma empresa de papel. Com a sinopse, parece que não há substância para as nove temporadas, mas ela se supera a cada episódio. Não espere algo intelectualizado, apesar das boas referências e ótimos diálogos - é pra rir sem exigências ou grandes expectativas. Tem todos os clichês - porque eles são o excesso do que acontece na vida real e eu sei, estive muito tempo em escritório - e eles quase sempre são cirurgicamente certeiros. Uma série sobre o ambiente de trabalho que te faz reconhecer os colegas e a si mesmo. Vale as nove temporadas. Com Steve Carrel, John Krasinski e grande elenco (relembrando clichês das críticas de filmes).

Você também pode gostar

0 Comentários