Prendam essa mulher...

abril 18, 2008

Hoje eu percebi que até na arte há limites. Estava aqui me atualizando na internet, porque nunca sei os horários dos telejornais, quando me deparei com a mais nova bizarra e grotesca, de extremo mau gosto, instalação nos Estados Unidos. Uma mulher, mestranda em artes em Yale, perdeu nove meses de sua vida se inseminando artificialmente, engravidando e abortando em seguida. Não suficiente em fazer isso sozinha, ela insiste em mostrar pro mundo, através de vídeos dos abortos e outros registros.

A matéria saiu em um blog do Globo que eu nem tinha intenção em entrar, mas a chamada me atraiu. Eu entendo que a arte contemporânea não precisa de definições e que cada um se vire pra gostar e interpretar e metaforizar em cima do que se veja, mas há que se pensar numa questão ética quando tratamos de um tema como o aborto. É incompreensível inclusive como um espaço de arte dá vazão a esse tipo de expressão. É discutível como uma pessoa com idéias como essa é admitida numa universidade tão tradicional e cheia de valores. Que não sejam os valores... não é nem estético.

Numa semana em que o Brasil assiste às investigações acerca do assassinato da menina Isabella, cujos pais parecem tão conformados que incomoda, fico me perguntando: o que está acontecendo com as pessoas? Uma menina tão nova ser assassinada pela família daquele jeito e nignuém se desespera? Uma trajetória de desequilíbrio e violência do pai e da madrasta e a mãe da menina ainda permite os encontros? E só faz rezar? Nada contra as religiões... mas tenha a paciência! O que percebemos disso tudo é que os brasileiros outros se incomodam muito mais com a situação do que os envolvidos. Basta ver a multidão na porta do casal, as pedras lançadas e a audácia do advogado em citar Jesus Cristo.

Entrei nos sites de notícia para ver o caso de Isabella, que já acho surreal de tão frio e sórdido, e me defronto com essa imbecil dizendo que arte é fazer abortos e mostrar ao público e ninguém...sei lá... prende essa mulher? Não entendo o que acontece com a arte, com expressão pública... não entendo essa contemporaneidade e comportamentos como esses. Enfim.

You Might Also Like

2 Comments

  1. Porr**, realmente, essa você guardou na manga. Já estava achando TUDO um pscicopatomomentosurreal, agora então... vamos lá, fazer ARTE! Sou mais a minha! Quem dá mais, quem dá mais?!?!?!?!?

    ResponderExcluir
  2. Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Perfume, I hope you enjoy. The address is http://perfumes-brasil.blogspot.com. A hug.

    ResponderExcluir

Para inspirar


O que a gente tem que buscar é a alegria, essa se esconde delicada na correria dos dias, não se oferece de pronto, quer ser encontrada, surpreendida, amada.

Tudo é rio, Carla Madeira

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *